China diz que seu “Olho do Céu” pode ter captado sinais de seres alienígenas

O radiotelescópio conhecido como “Olho do Céu”, da China, é o maior e mais sensível do mundo. Imagem: Universidade Normal de Pequim (BNU)

Cientistas chineses dizem que o gigantesco telescópio “Olho do Céu” pode ter captado sinais de seres alienígenas. De acordo com o Diário de Ciência e Tecnologia, jornal oficial do Ministério da Ciência e Tecnologia da China, os pesquisadores encontraram “vários casos de possíveis traços tecnológicos e civilizações extraterrestres de fora da Terra”.

Localizado em Guizhou, uma província montanhosa no sudoeste do país, o Telescópio Esférico de Rádio de Abertura de 500 metros (FAST), como é formalmente denominado, é o maior e mais sensível radiotelescópio do mundo, além de ser o único telescópio gigante de prato individual em todo o planeta.

Capaz de detectar ondas de rádio fracas de pulsares e materiais em galáxias distantes, o equipamento custou US$ 171 milhões (algo em torno de R$ 872 milhões, na cotação atual), e vem trabalhando desde 2020 na busca por vestígios de vida extraterrestre.

Até o momento, em parceria com cientistas da Universidade da Califórnia, nos EUA, pesquisadores da Universidade Normal de Pequim (BNU) identificaram dois conjuntos de sinais captados em 2019 e processados em 2020, além de uma captação incomum feita este ano.

Conhecido como “o maior caçador de alienígenas da China”, o cientista-chefe da equipe de pesquisa de civilização extraterrestre da China no departamento de astronomia da BNU, Zhang Tongjie, afirma que, desta vez, o FAST identificou “vários sinais eletromagnéticos de banda estreita diferentes do passado”.

“A possibilidade de que o sinal suspeito seja algum tipo de interferência de rádio também é muito alta, e precisa ser confirmada ou descartada”, disse Tongjie. “Este pode ser um processo longo”.

O físico Stephen Hawking, falecido em 2018, alertava os humanos para não tomarem a iniciativa de estabelecer contato com alienígenas. Essa cautela, segundo Hawking, seria em razão de que os recursos da Terra são finitos e “as civilizações devem matar-se mutuamente por eles”.

No entanto, para Tongjie, o universo é grande o suficiente para não haver necessidade de lutar por recursos. “Imagine se você estiver navegando em um barco em um mar escuro tempestuoso e vir uma luz fraca de outro veleiro à distância. Você vai tirar sua arma para atirar nele ou encontrá-lo para que vocês possam ajudar e depender um do outro?”.

Segundo Tongjie, sua teoria do mar escuro é o retrato da busca por outras civilizações. “Podemos não ser capazes de sobreviver na Terra um dia. Precisaremos da ajuda de civilizações alienígenas”, acredita o cientista.

Fonte: https://olhardigital.com.br/

Weslem

Weslem Andrade é formado em Artes plásticas pela Universidade Federal de Uberlândia. Virou pesquisador de Ufologia em 2001, após ter o que julga ser o seu principal avistamento ufológico. Tal experiência e engajamento em pesquisas, culminou com a criação do blog ETs & ETc..., em agosto de 2010.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.