Arqueólogos descobrem misteriosos crânios alongados na França

Crédito da imagem: io9
Crédito da imagem: io9

ATENÇÃO: Esta notícia é um pouco antiga, pouco mais de um ano, mas como não tinha tomado conhecimento, acredito que muita gente também não veio a saber, então estou compartilhando com vocês…

Arqueólogos franceses fizeram uma descoberta surpreendente durante uma escavação na Alsácia, na França, eles descobriram um crânio alongado que remonta 1.500 anos. A descoberta levou os arqueólogos para estender sua pesquisa por mais de 7,5 hectares, o que resultou na descoberta de uma grande quantidade de artefatos, humanos e animais permanecentes ao período Neolítico, gaulesa, galo-romana, e as sociedades merovíngias.

O crânio parece ter sido intencionalmente alongado através da prática conhecida como deformação craniana, que é geralmente associada a culturas mesoamericanas antigas e foi amplamente praticada na Europa, África, Ásia, e como referimos, na América do Sul. Deformação craniana é uma forma de distorcer o crescimento normal do crânio de uma criança através da aplicação de força através da ligação à cabeça de pedaços de madeira ou vinculando-o com um pano. Esta prática era feita em crianças pois, nesta idade, o crânio é mais flexível.

O crânio foi descoberto durante a escavação de uma necrópole contendo 18 enterros. Ele foi descoberto em uma tumba pertencente a uma mulher que realizou claramente uma posição de status elevado na sociedade, já que ela foi enterrada com uma rica variedade de tesouros, incluindo pinos de ouro, um espelho de prata, contas de vidro e âmbar, um pente feito de chifre de veado e um número de outros produtos.

A deformação craniana era frequentemente associada às elites da sociedade, e afirmavam seu status elevado. A questão importante, claro, é por quê? Uma série de teóricos alternativos têm proposto que a prática foi feito para imitar uma raça de pessoas que nasceram com crânios alongados e que foram obviamente tidos em alta estima. Brien Foerster tem escrito extensivamente sobre o assunto e apresentado provas convincentes relativas à crânios que foram alongadas significativamente através da genética e não por meio de deformação craniana. Muitas perguntas ainda precisam ser respondidas.

NOTA ETs & ETc…: Alguns teóricos acreditam que a prática de deformação craniana em algumas  culturas se deu como uma tentativa de imitarem os Deuses e este Deuses seriam astronautas alienígenas que desceram à Terra em um passado remoto. Outros acreditam que alguns desses seres com crânios alongados seriam os próprios seres extraterrestres ou híbridos de humanos e aliens.

.

Ainda sobre crânios alongados, não perca também:

.

Fontes da notícia: abril Holloway e http://beforeitsnews.com

Weslem

Weslem Andrade é formado em Artes plásticas pela Universidade Federal de Uberlândia. Virou pesquisador de Ufologia em 2001, após ter o que julga ser o seu principal avistamento ufológico. Tal experiência e engajamento em pesquisas, culminou com a criação do blog ETs & ETc..., em agosto de 2010.

2 thoughts on “Arqueólogos descobrem misteriosos crânios alongados na França

  • 16/02/2015 em 18:02
    Permalink

    Muito legal a matéria! Já vi muitos outros casos de crânios alongados e deformados feitos pela própria cultura desse povo, mas a origem desse ritual ainda me intriga. Confesso que não acredito tanto nas teorias do deuses alienígenas, mas seria interessante ler alguns textos de Brien. Seria realmente animador se ele conseguisse provar que o alongamento de crânios possa ser genético.

    Até!

    Resposta
  • 17/02/2015 em 10:08
    Permalink

    Um crânio deve possuir o mesmo volume independente se foi alongado ou não, se este crânio tem um volume maior do que teria se fosse normal então ele não foi alongado ele nasceu assim.

    Bem básico isso…

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/etseetc/public_html/wp-includes/functions.php on line 5279